“Cabeças frias ao serviço de corações quentes…” (Alfred Marshall)

Convem manter a cabeça fria mesmo na situação desesperada em q nos encontramos…

Como refere o grande economista neoclássico Marshall a propósito de qual deve ser a função dos economistas: queria ele dizer que devem usar o seu saber e os seus modelos tendo em vista que as soluções que propõem devem conduzir à melhoria do bem-estar das pessoas.

Se atentarmos no que se tem escrito na imprensa e blogs, redes, etc nas ultimas 2 semanas devemos refletir. Deixo apenas alguns pontos para essa reflexão:
– A recente noticia sobre Carlos Moeda e suas ligações empresariais a Relvas (no passado) e os ataques recorrentes a A. Borges e a sua passagem pela Goldman S., vista como “um polvo” pelas influências de ex-colaboradores em alg organizações e governos (caso de Draghi e Borges) parece uma autêntica teoria da conspiração…
Também podemos argumentar que as boas cabeças que passam pela GS acabam por ser aliciados para instituições internac de prestígio devido à sua competência, um pouco como acontece no futebol…
– outro aspecto para reflexão liga-se aos ataques ferozes ao governo e o ataque pessoal aos seus elementos-chave e a criação de um cenário de pânico e histeria sobre o impacto do OE proposto. É certo que os governantes devem saber gerir politicamente o anúncio das politicas de austeridade. O actual PM e seu M. Finanças, não o têm conseguido eficazmente. Como alguém ontem disse num debate TV, há que procurar a sustentabilidade democrática e não só a financeira. Porém, apesar disso, é reprovável a atuação de jornalistas, opinion-makers e oposição com vista a criar o pânico e o desespero junto das populações. Deviam demonstrar uma maior responsabilidade social, o que não significa que não devam ser críticos.

-A incessante partilha de emails e posts nas redes de notas sobre qto ganha o ministro, e o deputado e o assessor, das mordomias dos juizes, etc só serve para incitar à inveja e à revolta, qdo essas situações se instalaram desde os anos 80. Nalgumas análises relativas ao IRS há uma prova de desconhecimento – por ex. qdo um jornalista na radio faz as contas “à merceeiro” de qto irá pagar um casal de professores aplicando, erradamente, a taxa normal ao ordenado mensal *14 meses. Ignora que a taxa incide na mat colectável (bastante inferior ao rendimento auferido no caso deste provir apenas do trabalho por conta de outrem).

Sei que se tornou impopular não criticar este governo mas, será que os adeptos da queda do governo apostam num governo de salvação nacional? ou nas eleições que catapultem para o gov A. Seguro ou A. Costa? Será que eles conseguiriam isentar-nos da austeridade? que convenceriam a Troika a estender o prazo e/ou perdoar a divida?

Parafraseando alguém:

O Povo é sereno….   (esperemos que sim….)

Sobre anabrav

Professora universitária Área de especialização: Economia Gostos: literatura, poesia, cinema, musica comentar economia e política
Esta entrada foi publicada em Economia com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s